Até a mulher maravilha cansa

Ela era a mulher maravilha da minha vida, da vida dos amigos. Aquela que topava tudo, a qualquer hora. A mulher que muitas vezes eu sonhei acordado em ter. Ela era. Ela é. Capaz de se desdobrar em duas pra resolver os meus, e os problemas dela. Mulher capaz de se multiplicar em 30 caso eu precisasse. Mulher de super poderes, conseguia ser fiel ao seu sentimento, fiel ao meu amor mesmo quando eu auto me sabotava. Ao lado dela eu cresci, conheci coisas novas, passei por boas e más experiências, mas não amadureci o suficiente pra seguir ao lado dela. E ela sempre me deixou claro, que era mulher de homem e não de moleque. Eu ainda não sabia ser homem. Duas vezes nos perdemos, mas ela voltou. Acho que por isso aconteceu, pensei que sempre seria exatamente igual. Mas até a mulher maravilha cansa, e a minha cansou. Cansou depois de perdoar coisas que dizia ser imperdoáveis. Cansou depois de me dizer sempre que respeito era o mínimo. E não receber. Cansou depois de tanto chorar. Cansou de chorar. Cansou de viver sua vida com um moleque. E eu cansei de ser esse moleque. Cansei tarde demais, a minha mulher maravilha já não está mais ao meu lado, eu já não tenho mais o pescoço dela domingo de manhã encaixado no meu, nem me agarrando na madrugada me puxando mais pra perto. Essa mulher era 10, e eu? Um moleque 7.1, a minha mulher maravilha hoje está salvando o mundo de outro. SORTUDO!!!! Me perdi entre mulheres sem graça, entre amizades sem nada a me oferecer, eu saia enquanto ela segurava meu mundo. Agora ela soltou. E eu não sei como segurar sozinho. Ela tentou me ensinar, ela tentou me dizer que estava partindo. Eu quem não quis ver. Só acredito hoje, porque hoje ela já não está aqui.

Texto: @ingriduartt // Ingrid Duarte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *