Category Archive for "Editorial" | Cheia de Charme

Skip to Content

category

Category: Editorial

post

O lado bom de tudo – E dos 20 e poucos anos

Começar a usar produtos para evitar as rugas é o que recomendam quando nós, mulheres, fazemos 25 anos. Eu li isso na revista da Avon, no ano passado, e marcou tanto que era só o que eu pensava quando lembrava que os 25 anos de vida estavam chegando.

E agora? Esse é o marco do ínicio de uma fase onde as tetas e a bunda começam a cair, a pele começa a ficar uma ameixa seca e a energia não é a mesma? É óbvio que sim!

Muitas mulheres encaram o envelhecimento como um filme de terror em que o monstro é o próprio espelho. Sinto muito, mas em certos momentos também penso isso e sinto medo de envelhecer. No entanto, lutar em todo o aniversário contra o fato de estar envelhecendo é impossível, se de fato estou. Tento pensar que fazer aniversário é a comemoração de um ano a mais vivido e não um ano a menos de vida, afinal, saber ver o lado bom das coisas rejuvenesce o espírito!

Nesse meu aniver de 25 anos, me comprometo em fazer um esforço para ver o lado bons das coisas e a seguir buscando tudo que sonho com o mesmo entusiasmo que tinha aos 15 anos.

Aos 15, minha melhor amiga e eu gargalhávamos imaginando o que seria da gente aos 25 anos e dizíamos: – Nunca seremos adultas!

Pauline e sua amiga Lis (quando éramos meninas más)

Dudinha e Pauline (quando acreditava que mudaria o mundo)

Na verdade, eu só me considero um pouco inocente demais para compreender a podridão dos seres humanos, o maltrato com os animais, a destruição da natureza e a demasiada tolerância na hora de fazer-se cumprir a lei.

Todos temos direitos e deveres. No meu mundo, os direitos humanos só tem validade para quem cumpre seu dever!

Privacidade? Quero mais é que acabe logo com essa tal de privacidade. Meu bem, se você tem algo a esconder, simplesmente pense antes de fazer, porque observando a forma como vivemos hoje, vai ficar cada vez mais difícil colocar para baixo do tapete a sujeira! E disso até o google sabe: “If you have something that you don’t want anyone to know, maybe YOU SHOULDN’T BE DOING IT in the first place” by Google.

Num mundo onde traição é motivo de risada, mentira é sinônimo inteligência, preconceito é pretexto para ignorância,  eu prefiro viver no meu mundo, fazendo o que está ao meu alcance e deixando que o resto desabe! Prefiro viver em um mundo onde  há poucas pessoas, muitos computadores, respeito pelos animais e pouca tolerância com as atitudes desse bando de seres nada racionais que chamamos de humanos. Esse é o meu mundo.

Dudinha e Pauline (aqui ela já sabia que não mudaria o mundo)

Amigas! Ter 15 anos foi muito bom, pois eu acreditava que poderia mudar o mundo, mas ter 25 anos é ainda melhor, porque agora eu vejo que não posso mudar o mundo, mas tenho o poder de melhorar o que está ao meu redor ;D

Portanto, meu bem, se você tem 15, 25 ou 60 anos, não importa. O que importa é saber ver o lado bom de tudo, inclusive o lado bom de ter a idade que você tem!

Beijão meninas!

post

Convivendo bem com seu cabelo e seu cofrinho

Considero a minha forma de pensar uma exceção quando se trata de cabelos femininos. Começando pelo fato de que nunca pintei o cabelo, no máximo as pontas de azul num momento de loucura adolescente, mas nada que durasse mais que duas semanas.

Segundo porque tenho cachos e nos damos muito bem, obrigada. Não tenho vontade de ter o cabelo liso, já passei da fase da dependência da chapinha e da idiotice de achar que meu cabelo teria de ser liso para estar apresentável.

No entanto, conviver com meus cachos não é muito fácil. De qualquer forma posso afirmar que é muito mais fácil aceitá-los do que ficar gastando grana, tempo e arriscando minhas madeixas com processos químicos em busca do liso que a grande maioria busca. Aprendi a gostar de ser diferente ;)

Cachos são lindos! Volume no cabelo é lindo! Loiro então! Lindo! Natural! Sim, todos me perguntam se eu pinto o cabelo. Eu não pinto! Sinto muito, mas amo meus cabelos.

Diante das considerações feitas acima, logicamente cuido muito dos meus cachos dourados. Não faço mudanças radicais, mas sempre estou buscando produtos que me deixe mais bonita e segura. Em dias de chuva é uma tristeza, aquele aspecto espigado é difícil de combater, mas é possível. Meu cabelo é seco e não consigo passar um dia sem lavar, o que é um problema. Cabeleireiros orientam para lavar menos quem tem cabelo seco, mas higiene é bom e eu gosto, e é uma questão de bem-estar também, me sinto mal se não lavo.

Recorro todo dia a finalizadores ou cremes pós enxague. Sou dependente deles e sei que eles me acompanharão para o resto da minha vida. Simplesmente aceito isso e faço a festa com esses produtos milagrosos.

Gasto muito pouco em salão de beleza, não costumo frequentar, não tenho paciência. Corto as pontas de 4 em 4 meses (quando lembro) ! Não digo que jamais me renderei às regalias dos salões de beleza, mas ainda não consigo me sentir bem nesses lugares: os serviços são caros e os resultados dificilmente me surpreendem. O que conseguem fazer nesses salões eu consigo fazer em casa com meu produtinhos eficientes.

Como postei anteriormente, meu xodó é o Vizcaya. É ele que tenho usado no dia-a-dia. Em dias mais úmidos o cabelo se rebela, daí dou umas borrifadas com o milagroso Frizz-Ease da John Frieda.

E uma coisa que aprendi e faço questão de dividir com vocês: Não preciso utilizar cremes de 80 reias para estar feliz, às vezes os de 3 reias valem mais a pena.

Sim, sou pão dura. Mas o que acontece é o seguinte meu bem, você sabe calcular o CUSTO-BENEFÍCIO dos produtos que você usa? Eu posso dizer que sei.

Faço muita pesquisa, testo quando possível, leio sobre os produtos, suas composições, suas marcas, etc. Afinal esse mundo blogueiro está aí para nos servir e como a indústria de cosméticos é a segunda maior do mundo, concorrência não falta, o que é ótimo para nós consumidoras, não é? Há variedade, qualidade e preço justo, basta buscar. Economia é bom e meu cofrinho adora.

Enfim, esse post é mais reflexivo do que informativo, mas espero que tenha sido útil para vocês, colegas charmosas.

Nos posts seguintes estarei mostrando alguns dos produtos que não vivo sem, alguns que não tem um custo-benefício favorável e outros que causaram tremendo arrependimento.

Beijos!

post

Charme de Mulher


Ser mulher charmosa não se aprende. Se é e pronto!
Menina, moça, mulher, mulher madura, anciã.
O charme já faz parte da natureza da mulher.
É algo que a envolve inteira. A faz faceira.
A mulher charmosa desliza ao caminhar porque pisa a terra sabendo que tem o mundo aos seus pés. E o universo ao alcance das mãos.
Quando ela fala agrada, porque de sua boca só saem palavras proveitosas.
E sabe ouvir.
O charme da mulher consiste em ser natural, espontânea.
Em deixar a feminilidade derramar-se em cada gesto, cada palavra.
Nenhuma mulher consegue sugestionar algo que realmente não possua dentro de si.
Nenhum artifício a faz charmosa.
Ela pode até aparentar possuir charme, mas quando o homem dela se aproxima descobre frustrado que é tudo fita. Que ela não é o que aparenta ser. E a imagem falsa que ela está tentando passar desmorona-se em segundos. Bastam algumas palavras, uns gestos.
Às vezes bastam alguns minutos para que uma mulher que forçosamente se faça passar por
charmosa se revele totalmente o contrário disso.
Já a que possui naturalmente o charme de mulher deixa fluir na convivência ou mesmo ocasionalmente o que está guardado dentro de si.
A mulher charmosa não precisa fazer força para agradar. Ela agrada naturalmente.
Se todas as mulheres entendessem isso muitas delas não fariam o ridículo papel de se passar por uma coisa que realmente não são.
Autor: Sonia M.Delsin Lencione

Vamos ser o que realmente somos!?

Está no ar um blog cheio de charme!